Entenda a diferença entre resíduo e rejeito

Compreender a diferença entre resíduo e rejeito é muito importante para que esses materiais possam ser reutilizados, reciclados e, por fim, descartados corretamente.


A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instituída pela lei nº 12.305/10, e que entrou em vigor em 2014, foi elaborada com o objetivo de reduzir o impacto negativo gerado pelo manejo incorreto dos resíduos sólidos. De acordo com essa lei, os lixões foram extintos e substituídos por aterros sanitários, que recebem somente rejeitos.


Se essa norma for descumprida, o aterro está sujeito às penalizações impostas pelo Ministério Público. Essa lei também busca reduzir a geração de resíduos sólidos e garantir o descarte adequado de rejeitos.

O que é resíduo?


Resíduo é o que sobra de determinado material depois dele ter sido utilizado, como, por exemplo, embalagens, carcaças, etc., que pode ser reutilizado ou reciclado.

Os resíduos devem ser descartados separadamente, de acordo com a sua composição - um recipiente de descarte que contenha só vidro, outro só alumínio, etc. - e podem ser aproveitados por cooperativas de reciclagem ou catadores.


Os resíduos sólidos urbanos são aqueles gerados pela população de uma cidade e podem ser subdividos em seis categorias, de acordo com a sua composição. São elas:


- Matéria orgânica: sobras e restos de alimentos

- Papelão e Papel: jornais, revistas, caixas e embalagens

- Vidro - garrafas, copos e outros recipientes

- Metais

- Plástico

- Outros: roupas e eletrodomésticos, por exemplo.


O que é rejeito?


Rejeitos são aqueles materiais que não são passíveis de serem reutilizados ou descartados. Apesar de parecer à primeira vista que os alimentos devem ser classificados como rejeitos, muitos deles podem ser compostados, e, por isso, são classificados como rejeitos.


Alguns exemplos de rejeitos são o lixo dos banheiros, fraldas, absorventes e restos de comida animal. Eles devem ser enviados ao aterro sanitário.


O que fazer para contribuir com o meio ambiente?


O primeiro passo é fazer a separação do lixo. Quando o lixo é separado, é possível fazer a reutilização dos materiais antes de serem encaminhados para a reciclagem e até mesmo realizar a compostagem, em se tratando de resíduos. Não se esqueça de consumir um objeto dentro de toda sua vida útil, já que, quando os materiais são utilizados ao máximo dentro de sua capacidade ou reciclados, geram muito menos impactos ao meio ambiente. Caso você não esteja usando algum objeto, como roupas e sapatos, por exemplo, ao invés de descartá-los, pode doar para alguém que precise.


No caso de restos de alimentos e sobras de comida, além de realizar a compostagem, você também pode reutilizá-los para fazer outras receitas. Quanto aos rejeitos, a melhor forma de contribuir com o meio ambiente é buscando diminuir ao máximo o lixo de casa através de hábitos do dia a dia.


Fonte:

Biblioteca da Mináguas

ecycle

Ministério o Meio Ambiente

Inovar Ambiental

Logo Assinatura Branca.png

VOLTE AO TOPO