A importância dos tratamentos de água

A água é um elemento essencial para a sobrevivência dos seres humanos, plantas e animais espalhados pela Terra.


Quando falamos de água, entretanto, não podemos esquecer de que, entre toda a água existente em nosso planeta, 97% é salgada e somente 3% é doce. Além disso, destes 3%, apenas 1% é ideal para o consumo, já que o restante está localizado em geleiras e em outros locais de difícil captação.


Por outro lado, mesmo sendo a água doce a ideal para os seres humanos, ela ainda não está apta ao consumo, pois se encontra exposta à diversas substâncias do ambiente. Dessa maneira, a água que chega até às casas dos cidadãos, originada de nascentes, poços, rios e outros tipos de mananciais, independente se for usada para ingestão ou destinada à higienização, deve ser tratada.


Durante o tratamento, a água passa por processos físicos e químicos, até que, finalmente se torne potável, ou seja, apta ao consumo humano.


Os tipos de tratamento de água são divididos em convencional (que explicaremos mais abaixo), não convencional (feito por clarificador de contato, filtragem rápida, estações de tratamento compactas, entre outros procedimentos) e simples desinfecção - tratamento onde a água recebe apenas o cloro antes de ser distribuída à população.

O tratamento convencional, geralmente usado pelas Estações de Tratamento de Água (ETAs), funciona da seguinte maneira:


Primeiro ocorre a captação da água "bruta" através de adutoras instaladas em mananciais e nos sistemas alternativos, que é levada para a estação. Após isso, é feita a coagulação, um processo onde é adicionado à água substâncias químicas, normalmente sulfato de alumínio ou sulfato férrico, responsáveis por aglutinar as partículas de sujeira maiores, como a argila, por exemplo.


Em seguida é realizada a floculação, etapa feita em um tanque de concreto com água em movimento, onde as partículas se juntam em flocos. Logo depois, em outros tanques, é executada a decantação. Nela, os flocos de impureza, através da ação da gravidade, se depositam no fundo dos tanques, separando-se da água.


Posteriormente, entra em ação a filtração, processo em que a água passa por filtros feitos de carvão, areia e diversas pedras, próprios para reter as pequenas partículas indesejadas. O próximo passo é a desinfecção, procedimento em que é adicionado cloro à água para eliminar microrganismos responsáveis pela causa de diferentes patologias.


Logo após isso é realizada a fluoretação, onde ocorre a aplicação de flúor à água para a prevenção de cáries. O próximo passo e já ao final do tratamento é a correção do pH da água com cal hidratada, substância que reduz a corrosividade da água para que não hajam danos às tubulações que distribuem a mesma à população.

Depois de todo esse trajeto realizado no tratamento convencional, a água é finalmente distribuída à população através das redes e tubulações.


Como podemos ver, o tratamento de água é algo cuidadoso e que deve ser feito até mesmo quando ela é proveniente de sistemas alternativos, como poços e nascentes. Esse processo é importante para que seja distribuída à população nas devidas condições de potabilidade, livre de bactérias e outros organismos que podem ser prejudiciais à saúde.

É importante ainda manter as caixas d'águas e torneiras higienizadas para que o padrão de qualidade da água distribuída seja mantido nos pontos de consumo.

Logo Assinatura Branca.png

VOLTE AO TOPO